CONTADOR GOOGLE: 16 MILHÕES DE ACESSOS!

CURTA O ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK

O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA AZALÉIA

O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA AZALÉIA

KITANDA E MERCEARIA MOTA - Direção MIRALDO MOTA

TATHIAGO DIGITAL - TUDO EM ELETRÔNICOS!

SUPERMODA - NA ALAMEDA RUI BARBOSA

SUPERMERCADO ADONAI - AV. AMÉRICO NOGUEIRA, CLODOALDO

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

BNCC - BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DO ENS. MÉDIO - É APROVADA PELO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

BRASÍLIA -  O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou a BNCC - Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do ensino médio nesta terça-feira. Com 18 votos favoráveis e duas abstenções, os conselheiros validaram o documento que define o que os alunos de escolas públicas e particulares devem aprender. Agora, a redação segue para homologação do ministro da Educação.
A Base Nacional Comum Curricular do ensino médio foi elaborada já com base na reforma da etapa escolar, aprovada pelo governo Temer em 2017.
Segundo essa reforma, 60% da carga horária serão compostas de conteúdo comum para todos os
alunos. O restante, de 40%, foi flexibilizado para que os estudantes façam aprofundamentos em uma ou mais áreas, chamadas de itinerários formativos. São eles: Linguagem, Matemática, Ciências da natureza, Ciências Humanas e Ensino Técnico e Profissional.
A secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Kátia Smole, disse que, apesar de imperfeições, o documento é "bom" e "robusto".

— O documento é bom, chega robusto. Perfeição não existe. Mas foi fruto de muitas audiências públicas. Teve muita discussão e estamos muitos seguros com o documento que aprovamos. Os próximos passos serão de muito trabalho. O governo vem fazendo uma série de investimentos e se preparando para apoiar as redes nesse processo — destacou ela. 

Segundo Kátia Smole, a aprovação no CNE não foi uma tentativa de apressar os trabalhos antes do início do próximo governo. Ela disse que a BNCC é um "plano de Estado, não de governo":

— O país tem que seguir com a agenda e coube a nós chegarmos até aqui. O que virá depois é a responsabilidade de quem virá depois.


Uma das abstenções na votação foi a do conselheiro Francisco Soares, ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Segundo ele, faltou dar uma definição mais clara sobre as disciplinas a serem trabalhadas em sala de aula. 

— Neste momento, estamos deixando (para trás) uma estrutura essencial, que é a das disciplinas. Elas são necessárias. Elas são a ferragem da estrutura do sistema pedagógico. Por isso, fui contra. As escolas não sabem como se organizar, pois elas não sabem como os itinerários serão feitos — afirmou Soares.

Como será o novo ensino médio?
Na Base Nacional Comum Curricular, o aluno terá uma parte dedicada aos conteúdos exigidos na base, o que comporá 60% da carga horária e contemplará todas as áreas do conhecimento. Os outros 40% serão dedicados a um itinerário que o aluno escolherá para se especializar. Ao todo, são cinco os itinerários possíveis: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Ensino Técnico e Profissional.

A nova base do ensino médio não é um currículo e, ao contrário da elaborada para o ensino infantil e fundamental, é mais flexível. O documento, por exemplo, não aponta quais conteúdos devem ser dados em cada bimestre de cada ano e trabalha apenas com as habilidades e competências que serão exigidas para todo o segmento.


As tradicionais disciplinas também não aparecem de forma direta. Física, Geografia, História e outras são citadas como componentes curriculares que devem ser ensinados dentro de grandes áreas e de forma interdisciplinar. As únicas disciplinas obrigatórias nos três anos são Língua Portuguesa e Matemática.

Nestas grandes áreas e sem especificação de conteúdo, o documento trata sobre quais habilidades o aluno deve atingir ao final do segmento e em cada área do conhecimento.

Cada escola deve oferecer, no mínimo, dois itinerários. A organização curricular fica a critério de cada sistema de ensino. Desta forma, um colégio pode escolher dar um ano só com conteúdos da base e os outros dois anos dividindo com o itinerário, enquanto outra instituição poderá trabalhar esta divisão desde o início do segmento.

O Enem muda?
A atual gestão do Inep, autarquia federal que organiza a prova, já havia dito que esperava a aprovação da BNCC para deixar um projeto de um novo Enem para o próximo governo. Os dirigentes do Inep e especialistas indicam que o exame deve mudar com o aprovação do novo documento, já que a prova tem que estar de acordo com a formação dos alunos.

Maria Inês Fini, diretora do Inep, em entrevista ao GLOBO , afirmou que, tal como a BNCC prevê um aprofundamento em alguma área, o Enem poderia ter uma primeira etapa baseada na BNCC (conhecimentos gerais) e uma segunda, no itinerário (específica).


Quando o documento começa a valer?
Não há prazos determinados para isso.

No ano passado, logo após a elaboração da base do ensino infantil e fundamental, uma comissão foi feita para auxiliar sua aplicação. O prazo para esta aplicação, estipulada pelo grupo do Ministério da Educação, ficou em dois anos.

Porém, nada impede que as redes de ensino já se adaptem à futura realidade. O estado do Paraná, por exemplo, já alterou seu currículo de acordo com o documento.

Haverá mudança de carga horária?
Na reforma do ensino médio, está previsto um aumento de carga horária nas escolas. A lei prevê que, nos três anos do segmento, o estudante tenha 3 mil horas divididas em duas partes: 1.800 horas para os conteúdos das quatro áreas do conhecimento (linguagens, matemática, ciências humanas e ciências da natureza) e 1.200 para os itinerários formativos.

O globo

11 comentários:

  1. Esse negocio de ensino EAD não da certo..olha o nivel do povo que sai dessas faculdades que vai 1x na semana.

    ResponderExcluir
  2. Tem que cortar gastos da educação mesmo as universidades se tornaram um reduto de petista alienado maconheiro se dizendo socialistas revoltados com o capitalismo. #B17

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coitado, não sabe oque está falando. Você deve ser mais um dos idiotas que não teve uma educação que preste, e deseja o mesmo para os demais.
      Egoísta, fascista, um tremendo imbecil.

      Excluir
  3. Vamos regredir e pobre n terá vez em Universidades!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pobre gosta e de festa e cachaça estudar que é bom fica para 5º plano!!! Que venha meu presidente dia 01 para acabar com essa farra de cota e universidade de graça. Se quer ser doutor que banque sua educação! quando o negocio e pago a pessoa valoriza.

      Excluir
    2. Quando fala assim, é mais um sem formação! Tem pobre que é melhor que você!!! Alienado!!

      Excluir
    3. Idiota so pode ser um zumbi do 17

      Excluir
  4. Como faz falta, a falta do conhecimento vai e escreve coisas bobas, as pessoas são livres eu faco Historio em Belo Horizonte, não sei de onde você acho essa fonte, onde tem redutos de petistas, as pessoas estão em todos os lugares e tem direito de se expressar direita esquerda.

    ResponderExcluir
  5. Como faz falta, a falta do conhecimento vai e escreve coisas bobas, as pessoas são livres eu faco Historio em Belo Horizonte, não sei de onde você acho essa fonte, onde tem redutos de petistas, as pessoas estão em todos os lugares e tem direito de se expressar direita esquerda.

    ResponderExcluir

MATÉRIAS ASSINADAS , com FONTE, são de responsabilidade de seus autores.

contatos blog: whats: (77) 98128-5324

ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK