CONTADOR GOOGLE: 16 MILHÕES DE ACESSOS!

CURTA O ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK

PATROCINE O BLOG MAIS ACESSADO DE ITAPETINGA

PATROCINE O BLOG MAIS ACESSADO DE ITAPETINGA

O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA AZALÉIA

O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA AZALÉIA

KITANDA E MERCEARIA MOTA - Direção MIRALDO MOTA

TATHIAGO DIGITAL - TUDO EM ELETRÔNICOS!

SUPERMODA - NA ALAMEDA RUI BARBOSA

segunda-feira, 14 de maio de 2018

BRASIL TEM 5,5 MILHÕES DE CRIANÇAS SEM O NOME DO PAI NO REGISTRO

"É um número assustador, um indício de irresponsabilidade social", afirma especialista; Rio e São Paulo lideram o ranking
Por Fernanda Bassette
São Paulo – Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com base no Censo Escolar de 2011, apontam que há 5,5 milhões de crianças brasileiras sem o nome do pai na certidão de nascimento.
O Estado do Rio lidera o ranking, com 677.676 crianças sem filiação completa, seguido por São Paulo, com 663.375 crianças com pai desconhecido. O Estado com menos problemas é Roraima, com 19.203 crianças que só têm o nome da mãe no registro de nascimento.
“É um número assustador, um indício de irresponsabilidade social. Em São Paulo, quase 700 mil crianças não terem o nome do pai na certidão é um absurdo”, diz Álvaro Villaça Azevedo, professor de Direito Civil da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e diretor da Faculdade de Direito da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap).
Segundo o professor, ter o nome do pai na certidão de nascimento é um direito à personalidade e à identidade de toda criança. “Além disso, é uma questão legal para que essa pessoa possa ter direito a
receber herança, por exemplo”, afirma.
Para o juiz Ricardo Pereira Júnior, titular da 12.ª Vara de Família de São Paulo, ter tanta criança sem registro paterno é preocupante. “Isso significa que haverá a necessidade de regularizar essa situação mais para a frente. Uma criança sem pai pode sofrer constrangimentos, além de estar em uma situação de maior vulnerabilidade, pois não tem a figura paterna.”
Nelson Susumu, presidente da Comissão de Direito de Família da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), também considera o número preocupante, e ressalta que há ações para diminui-lo. “O programa Pai Presente do CNJ foi criado para tentar reduzir esse número.” 
As informações são do jornal O Estado de S.Paulo

23 comentários:

  1. Uns lixos que não fazem nenhuma diferença..Mãe sim faz toda a diferença na vida de um filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o problema é saber quem é o pai,no carval mesmo sai varias crias.kkkkk

      Excluir
  2. Nem todos são lixo não podermos julgar todos por causa dos outros podem dizer que não faz falta mais faz sim porque é um direito da criança

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A grande maioria são, é claro que estou referindo aos pais citados acima. E te digo uma coisa se faz diferença na vida do filho na vida do pai vai fazer mais ainda,pode até demorar mais que um dia ele se arrepende isso é com certeza.

      Excluir
  3. Nem todos são lixo não podermos julgar todos por causa dos outros podem dizer que não faz falta mais faz sim porque é um direito da criança

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho um filho de 11 anos conheci o pai dele e por uma ingenuidade engravidei logo depois esse mesmo sumiu no mundo ao saber que eu estava grávida apareceu meu filho já com 10 anos Inteligente pra caramba meu filho ele veio querendo fazer Dna pra resistrar meu filho mesmo respondeu pra que ele quer mim resistrar eu já tenho redistribuição ele sumiu deixou minha mãe sozinha hoje nos não precisa mais dele não quero esse homem como meu pai eu tenho nojo dele meu filho é uma criança feliz tendo eu como pai e mãe um nome num papel não mudaria em nada na vida do meu filho e si eu obrigasse a fazer esse exame ele iria ficar triste ele mim disse que ouviu alguém dizer que o homem que dizia ser pai dele tinha si viciado em drogas logo que fujiu pra não ter responsabilidade quando eu tava grávida eu e meu filho tamos muito bem e temos pavor a drogas e a drogados uma vez maconheiro sempre quando tava comigo nem cigarro normal não fumava eu não aceitava meu filho tem hoje quase 12 anos e um jogador de futebol maravilhoso um aluno exemplar sem precisar de um nome de um homem no papel ele vai um dia ver meu filho de plateia e não vai poder gritar vai meu filho

    ResponderExcluir
  5. Pai que faz o Brasil e cheio acho que não faz diferença nenhuma não é nenhuma novidade

    ResponderExcluir
  6. Manda pra car q eu registro.so nao pago pensão. Kkkkkkk

    Não todas mas 80% engravidam de homens casados achando q o cara vai largar a mulher. ...

    ResponderExcluir
  7. Ahhh são os filhos de Tiquim kkkkk botar como?

    ResponderExcluir
  8. O jeito e a justica brasileira obrigar os pretensos pais a registrarem os filhos dos vizinhos..ja passei pela situacao e vi como o judiciario brasileiro e cretino

    ResponderExcluir
  9. Eu acho um absurdo, o homem fica com a Mulher e depois ingnora a paternidade, as vezes eles nao aceitam fazer o DNA, TINHA QUE HAVER UMA LEI QUE OS OBRIGASSEN A REALIZAR ESTE EXAME, PARA FICAR COMPROVADO A PATERNIDADE.

    ResponderExcluir
  10. Faz sim mesmo que não ajudem mas é um direito da criança.

    ResponderExcluir
  11. A justiça também é conivente com isso pois para uma mãe provar que o cara é pai de alguma criança é a maior complicação.# revoltado com pais que não assumem seus filhos!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. isso é culpa das maes, na maioria dos casos já conhecem os machos que vao fazer as crianças. homens covardes, vagabundos, sem compromisso algum. e elas vao lá e poe as crianças no mundo assim mesmo. nao era nen pra a justiça obrigar a pagar pensao.

    ResponderExcluir
  13. Ô!! E AGORA COM ESSA POLÍTICA DE IDEOLOGIA DE GÊNERO, É QUE NÃO VAI TER MESMO.

    ResponderExcluir
  14. Por pior q seja o pai e direito e responsabilidade dele dar o nome ao ser q nao pediu pra nascer

    ResponderExcluir
  15. Por pior q seja o pai e direito e responsabilidade dele dar o nome ao ser q nao pediu pra nascer

    ResponderExcluir
  16. Sou filha de mãe solteira, sou professora, conheci meu pai com 30 anos, fazendeiro. Mas, não quero nome no meu registro. Pai é quem da carinho e amor. E, olha que minha mãe era noiva dele, mas quando soube que ela estava grávida sumiu. Quem me deu amor e carinho foi meu avô. O que vale no mundo é amor.

    ResponderExcluir
  17. Registro é igual papel, se o pai registrar forçado e ter vergonha do filho é melhor não registrar. Pois, o registro não vai valer nada, vai ser lixo. Agora, mulheres cuidado para não abrir as pernas para homens casados, putas, destruidoras de lar. Atrás de mesadas seu filho vai ter nome de fi da puta.

    ResponderExcluir
  18. Nem a mãe cria, na maioria dos casos, sobra pra avó criar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em poucas palavras, disse tudo. A mãe aparece no registro mas não cria.

      Excluir
  19. Pior do q nao ter o nome do pai em um documento é ter e nem ter amor, nem cuidado! Cada um um tipo q vejo

    ResponderExcluir

Tiago Bottino / Blog Itapetinga AGORA , LIDER em acessos no Médio Sudoeste da Bahia



whatsApp: (77) 98128-5324

ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK