CONTADOR GOOGLE: 16 MILHÕES DE ACESSOS!

CURTA O ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK

LOJAS PREMIADAS NA REGIÃO

LOJAS PREMIADAS NA REGIÃO

FRIGORÍFICOS SUDOESTE

FRIGORÍFICOS SUDOESTE

MORUMBI PNEUS - NO PARQUE DA LAGOA!

MORUMBI PNEUS - NO PARQUE DA LAGOA!

FEIRA DO LAR

FEIRA DO LAR

domingo, 16 de outubro de 2016

MINISTRO DA FAZENDA, HENRIQUE MEIRELES, SE REÚNE COM ALTA CÚPULA DO JUDICIÁRIO PARA DEFENDER PEC 241

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, se reuniu nesta sexta-feira (14) com a alta cúpula do Poder Judiciário, como a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz; do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho, e do
Superior Tribunal Militar (STM), William de Oliveira Barros. A reunião foi para discutir a proposta de criar um teto para os gastos públicos, previsto na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241. Meirelles defendeu que o teto não colocará em risco a harmonia entre os poderes. A advogada-geral da União, Grace Maria Fernandes Mendonça, também participou da reunião. 
O texto quer vincular o crescimento das despesas à inflação do ano anterior. Segundo o ministro da Fazenda, a restrição será igual para os três Poderes da República. “Não há nada específico para um determinado Poder que seja diferente dos demais”, afirmou. A presidente do STF afirmou que a PEC respeita a autonomia do Poder Judiciário. “Todo jurisdicionado brasileiro continuará, apesar do sacrifício, apesar dos apertos do momento, a ter a prestação jurisdicional”, disse Cármen Lucia. Gilmar Mendes também declarou apoio a PEC.
O texto já foi aprovado em primeiro turno na Câmara dos Deputados na segunda-feira (10). A segunda fase da votação deve ser no dia 24 ou 25 de outubro.
 A Procuradoria Geral da República acredita que o texto transforma o Executivo em um “super órgão” e “ofende” a independência e autonomia dos poderes Legislativo, Judiciário, do Ministério Público e demais instituições do sistema de Justiça.  Membros do Ministério Público e magistrados se opuseram a PEC 241, pois consideram que os investimentos previstos na Constituição Federal para as áreas de saúde e educação são cláusulas pétreas. 

2 comentários:

  1. faltou janaina paschoal e, miguel reale junior.

    ResponderExcluir
  2. Só de moeda pros deputados comprarem ternos são mais de 20 mil pra cada. Só deputados. 144.000.000 por ano só pros ternos de DEPUTADOS. Fora os senadores, juízes, prefeitos, ministros e os gastos que não são ternos.

    ResponderExcluir

ITAPETINGA AGORA MAIS DE 18 MILHÕES DE ACESSOS www.itapetingaagora.com

ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK