CONTADOR GOOGLE: 16 MILHÕES DE ACESSOS!

CURTA O ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK

LOJAS PREMIADAS NA REGIÃO

LOJAS PREMIADAS NA REGIÃO

FRIGORÍFICOS SUDOESTE

FRIGORÍFICOS SUDOESTE

MORUMBI PNEUS - NO PARQUE DA LAGOA!

MORUMBI PNEUS - NO PARQUE DA LAGOA!

FEIRA DO LAR

FEIRA DO LAR

domingo, 11 de setembro de 2016

MEDO DA SOLIDÃO FAZ COM QUE AS PESSOAS SUPORTEM CASAMENTOS INSUPORTÁVEIS

A maioria das pessoas  acredita ser importante se esforçar para manter um casamento, mesmo que insatisfatório. Será?
por REGINA NAVARRO LINS
Ainda não completou um século da entrada do amor no casamento. Foi a partir de 1940 que o matrimônio por amor passou a integrar as relações. Imaginava-se que assim todas as necessidades afetivas seriam satisfeitas. A união por amor resultaria num ser único, completo, insubstituível.
O problema é que na maioria das vezes isso não acontece. O otimismo e a esperança não deixam que as pessoas raciocinem, uma coisa é a emoção e outra a realidade do conjunto de regras que opera
sobre o casamento.
A escritora americana Laura Kipnis critica o modelo de casamento atual, principalmente, quanto à ideia de que é necessário “trabalhar” a relação para que o casamento seja satisfatório. “Quando a monogamia vira trabalho, quando o desejo é organizado por contrato, com a contabilidade registrada e a fidelidade extraída como o trabalho dos empregados, com o casamento parecendo uma fábrica doméstica policiada por uma rígida disciplina de chão-de-fábrica planejada para manter as esposas, os maridos e os parceiros domésticos do mundo agrilhoados à maquinaria do status quo – será que é isso que realmente significa um ‘bom relacionamento’?”
Por que aguentar um casamento insatisfatório? O sonho da estabilidade e o medo da solidão fazem com que as pessoas suportem o insuportável. Aos poucos os parceiros vão se tornando estranhos convivendo no mesmo ambiente. Por medo de se separar e se sentir só muitos, nesse caso, optam por não pensar na própria vida.
O historiador inglês Theodore Zeldin afirma que o medo da solidão assemelha-se a uma bola e uma corrente que, atados a um pé, restringem a ambição, são um obstáculo à vida plena, tal e qual a perseguição, a discriminação e a pobreza. Se a corrente não for quebrada, a liberdade continuará um pesadelo.
Segundo ele, a crença mais gasta, pronta para a lixeira, é que os casais não têm em quem confiar salvo neles próprios, o que é tão infundado quanto a crença de que a sociedade condena os indivíduos à solidão.
A oposição a essa análise tão clara é a histórica ilusão que o Amor Romântico propicia. A suposição de que um parceiro possa nos completar e assim possamos nos tornar uma única pessoa, ideia que impede que enxerguemos o óbvio: a solidão é uma das nossas características existenciais. Esse conflito com o real tem provocado casamentos insatisfatórios com duração cada vez menor.
Não há dúvidas de que um casamento pode ser ótimo, mas esse resultado depende principalmente de uma reformulação das expectativas a respeito da vida a dois. A ideia de fusão, de que todas as necessidades serão atendidas pelo parceiro, são passos em direção a profundas frustrações.
Ao iniciarmos um relacionamento é importante não idealizar o parceiro e percebê-lo do jeito como ele de fato é – com características que apreciamos e outras que não admiramos nem um pouco. Só assim fica mais fácil decidir se realmente desejamos permanecer ao seu lado.

SOBRE A AUTORA
Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 11 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda” e “O Livro do Amor”. Atende em consultório particular há 42 anos e realiza palestras por todo o Brasil. É consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo, e apresenta o quadro semanal Sexo em Pauta, no programa Em Pauta, da Globonews. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

16 comentários:

  1. Não é só o medo da solidão não, é o medo de perder a pose, tem muitas mulheres que se submetem a um casamento com homens com o dobro da idade onde elas não tem vontade ou interesse de irem a luta para conseguirem um trabalho ou fazer por onde e ai se entregam (essa éa palavra certo ) pegando barriga e ai colocando o besta pra assumir o filho(a) e agora ficarem dando de posudas.
    E os pais e as mães tem culpa porque ficam acautelando esse tipo de coisa. E la na frente a separação é insustentável.

    ResponderExcluir
  2. COMO NÃO SEPARAR DE UM HOMEM DE 59 ANOS QUE CASOU-SE COM UMA MOÇA DE 26. INADIMISSIVEL VER UM CASO DESSE E DIZER QUE NÃO É UM GOLPE. É SIM UM GOLPE.
    BESTA SÃO ESSE OTÁRIOS QUE SE SUJEITAM A ISSO. HOMEM É HOMEM RAPAZ.
    E CHIFRE BOI USA DE OUSADO, É PRA CABRA SAFADO MESMO USAR. E AQUI EM ITAPETINGA É O QUE BEM TEM. C O R N O.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOSSA!!! PARA QUE UMA MOÇA NOVA, VAI QUERER ESSES VELHOS GAGÁ, DÁ ATÉ VERGONHA, UMA NOVINHA DO LADO DESSES VELHOS DE ITAPETINGA. REBANHO DE VELHARIA.

      Excluir
    2. uma moça de 26 só pode ser golpista.. convenhamos.. o cara póde ser bisavo da pilantra.. mas tambem com 59 só pode ser corno mesmo, até com grana.. mas continua sendo corno mesmo..

      Excluir
  3. Esse titulo de capital da pecuária ITAPETINGA NÃO VAI PERDER NUNCA, ETA LUGARZINHO QUE TEM CORNO, MEU DEUS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É A CIDADE DOS VELHOS GAGÁ.

      Excluir
    2. É LUGAR DE CORNO, E DE VELHARIA!!!

      Excluir
    3. Tu Mesmo é um Seu Touro Boi Bandido

      Excluir
  4. Solidão é algo que não precisamos necessariamente está só para se sentir solitário, existe milhares de pessoas que se encontram cercadas de multidões, mas que são extremamente solitárias. Quanto ao casamento, acredito sim nele, acredito no amor, acredito no modelo padrão que tem sido negligenciado pelo sociedade através de uma mídia falida que quer a todo custo implantar seus valores em nossas casas. Falando ainda sobre o casamento vale ressaltar que este é uma relação entre duas pessoas e que por sua vez terá conflitos e embates, mas se estiver alicerçado sob princípios e propósitos durará para sempre sim, o que não podemos é nos render aos modelos implantados nos último tempos. Abs.

    ResponderExcluir
  5. é o cornus brasiliences baianus atacando de novo..cuide-se itapetinguense chifrudo..

    ResponderExcluir
  6. a´nao serem os religiosos por profissao.. ninguem acredita mais nessa coisa falida e demode chamada casamento..contrato religioso com fins obscuros de comércio essa porcaria nao acontece quase nunca.. quem está casando em 2016? conte nos dedos..viver de aparencias.. só os comensais da religiao.. o resto.. bla´.blá blá.. assunto chato e sem proveito..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc e uma mau amada a unica coisa demode que vejo e um monte de vagabundas sem nenhum valor dando o priquito adoidado achando que são mulheres modernas bando de lixo os homens so usam e jogam fora e logico que não. acreditam no amor porque nunca foram amadas sempre usadas,eu acredito no felizes para sempre porque sou muito amada

      Excluir
    2. bobinha.. todo mundo sabe que só voce acredita nas sua palavras.. bobinha.. bobinha.. inocente..kkkkk

      Excluir
    3. JA SEI! VOCÊ NÃO É MAU AMADA, MAS É UMA FINGIDA E SÓ TEM STATUS PRA DIZER NA SOCIEDADE QUE É CASADONA, MAS NA VERDADE É BEM MESMO É CHIFRUDA. COMO PODE UMA VACA DENEGRINDO A MULHER DO MESMO SEXO QUE ELA?

      Excluir
  7. esse dai que fica dizendo que Itapetinga só corne ele e um o vizinho esta comendo a mulher dele faz muito tempo

    ResponderExcluir
  8. texto muito prolixo...e quanto aos comentários, pelo amor de Deus que ainda tem gente que se preocupa com a vida do outro, com o quem o outro casa ou deixa de casar, dá a periquita ou deixa de dar, trai ou deixa de trair...kkkk gezuis. evoluam

    ResponderExcluir

ITAPETINGA AGORA MAIS DE 18 MILHÕES DE ACESSOS www.itapetingaagora.com

ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK