CONTADOR GOOGLE: 16 MILHÕES DE ACESSOS!

CURTA O ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK

FRIGORÍFICOS SUDOESTE

PATROCINE O BLOG MAIS ACESSADO DE ITAPETINGA

PATROCINE O BLOG MAIS ACESSADO DE ITAPETINGA

O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA AZALÉIA

O SINDICATO DOS TRABALHADORES DA AZALÉIA

KITANDA E MERCEARIA MOTA - Direção MIRALDO MOTA

LOJAS REZENDE - OS MELHORES PREÇOS DE ITAPETINGA

TATHIAGO DIGITAL - TUDO EM ELETRÔNICOS!

SUPERMODA - NA ALAMEDA RUI BARBOSA

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

MIRANTE: PREFEITO ACUSADO DE FRAUDES EM LICITAÇÕES É AFASTADO DO CARGO

PREFEITO DE MIRANTE, HÉLIO SILVA FOI AFASTADO E NÃO PODE ENTRAR NA PREFEITURA. EMPRESAS TERIAM FATURADO MAIS DE R$ 4 MILHÕES E PARTE IA PARA O POLÍTICO.
"A licitação já era pronta para beneficiar uma empresa específica e, combinada com o sócio dela, de que uma parte do valor seria destinado justamente ao prefeito", explicou o delegado Rodrigoi Kolbe sobre o esquema criminoso dentro da prefeitura de Mirante, região sudoeste, que tem como principal suspeito o prefeito HÉLIO RAMOS SILVA (PMDB). A investigação da Polícia Federal (PF) foi detalhada em coletiva à imprensa na tarde desta terça-feira (20). O político teve a função pública suspensa e está proibido de entrar nas dependências da prefeitura.
A Operação Belvedere, deflagrada pela manhã, combate o esquema de fraudes em licitação, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro no município praticado em favor do prefeito, informou a PF de Vitória da Conquista. A investigação foi realizada em conjunto com a Controladoria Geral da
União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF). Foi constatado que as empresas envolvidas no esquema de licitação teriam recebido mais de R$ 4 milhões do município. Parte do dinheiro que iria para o prefeito era depositado na conta de um funcionário da prefeitura que recebia R$ 800 de salário, o que chamou atenção da polícia pela grande movimentação bancária. Além do prefeito, a mulher dele, MÔNICA ALVES DE LIMA, presidente da comissão de licitação e funcionários da prefeitura também são acusados de participar do esquema.
Além da suspensão da função do prefeito, a operação cumpriu mandados de busca e apreensão, mandados de condução coercitiva, mandados de suspensão do exercício da função pública e a proibição de entrar nas dependências da prefeitura, entre eles o da primeira dama e outros servidores públicos ligados ao esquema nas cidades de Mirante, Livramento de Nossa Senhora, Bom Jesus da Serra, Poções, Planalto e Feira de Santana. De acordo com a PF, também foi realizado o bloqueio e sequestro de bens e valores de R$ 1.095.000.
CONDENAÇÃO
O Ministério Público Federal (MPF) divulgou nesta segunda-feira (19) que a Justiça Federal condenou o prefeito de Mirante, Hélio Ramos Silva, e quatro servidores do IBGE por improbidade administrativa. A condenação havia sido requerida pelo MPF por conta de uma fraude no censo demográfico do ano de 2000 no município. Segundo o MPF, os réus forjaram o número de habitantes da cidade com a finalidade de elevar o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Além de Hélio Ramos, então secretário municipal de Administração e Finanças, foram condenados os servidores do IBGE Cristiano Nolasco Meira Paraguai, agente censitário supervisor, Marcelo de Carvalho Lima, agente recenseador e primo de Hélio Ramos, Geraldo Santos Carvalho agente recenseador, então servidor público municipal, e Ubirajara Silva Pereira, coordenador de subárea.
A procuradoria aponta que a conduta foi orquestrada por Hélio Ramos, que escalou Marcelo Lima e Geraldo Santos para a fraude. A investigação revelou que os agentes recenseadores recebiam formulários já preenchidos de outros recenseadores e incluíam dados falsos, com a permissão do supervisor Cristiano. Ubirajara Pereira é acusado de não agir, mesmo ciente das evidências de fraude. Ainda segundo o MPF, a ação permitiu o aumento do coeficiente municipal de Mirante no FPM em 0,2%. Os réus: HÉLIO RAMOS SILVA, CRISTIANO NOLASCO MEIRA PARAGUAI, GERALDO SANTOS CARVALHO e MARCELO DE CARVALHO LIMA foram condenados ao pagamento de multa equivalente a duas vezes o valor do dano, proibição de contratar com o Poder Público e dele receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de três anos. Após o trânsito em julgado da condenação, os direitos políticos dos servidores ficarão suspensos por cinco anos e eles perderão o cargo que exercem. UBIRAJARA PEREIRA deve ter seus direitos políticos suspensos por três anos e pagar multa no valor de R$ 10 mil.

Fonte: G1 BA

3 comentários:

  1. o Brasil esta imerso em um verdadeiro mar de lama, uma podridão de dar inveja ao mais vil bandido, alias são todos uns bandidos mafiosos, o Brasil precisa de leis mais duras contra políticos e funcionários públicos usurpadores do dinheiro publico, paredão para esses bandidos.

    ResponderExcluir
  2. Isto está em toda bahia,e só da uma olhada nas cidades que ficaram entre as 100 piores

    ResponderExcluir
  3. POLICIA FEDERAL, VENHAM URGENTE EM ITORORO BAHIA--PRA VEREM AS LICITAÇOES O POVO TA RICO DIMAIS..PESSOAS Q NADA TINHAM VENHA INVESTIGAR

    ResponderExcluir

ITAPETINGA AGORA O BLOG MAIS ACESSADO DO MÉDIO SUDOESTE DA BAHIA

Redação e Edição: Tiago Bottino J. Brige
whatsApp: (77) 98128-5324

ITAPETINGA AGORA NO FACEBOOK